Imagem pre-carregada

Autores e suas Obras pelo Mundo

O Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor é um evento comemorado todos os anos no dia 23 de Abril, e organizado pela UNESCO para promover o prazer da leitura, a publicação de livros e a proteção dos direitos autorais. O dia foi criado na XXVIII Conferência Geral da UNESCO que ocorreu entre 25 de Outubro e 16 de Novembro de 1995.
A data de 23 de Abril foi escolhida porque nesta data do ano de 1616 morreram Miguel de Cervantes, William Shakespeare e Garcilaso de la Vega. Para além disto, nesta data, em outros anos, também nasceram ou morreram outros escritores importantes como Maurice Druon, Vladimir Nabokov, Josep Pla e Manuel Mejía Vallejo.

E você, conhece esses autores e suas principais obras? confira abaixo um giro rápido sobre esses autores e suas obras pelo Mundo!


Miguel de Cervantes Saavedra
(Alcalá de Henares, 29 de setembro de 1547 – Madrid, 22 de abril de 1616)

Foi um romancista, dramaturgo e poeta castelhano. A sua obra-prima, Dom Quixote, muitas vezes considerada o primeiro romance moderno, é um clássico da literatura ocidental e é regularmente considerada um dos melhores romances já escritos.

O seu trabalho é considerado entre os mais importantes em toda a literatura, e sua influência sobre a língua castelhana tem sido tão grande que o castelhano é frequentemente chamado de “La lengua de Cervantes” (A língua de Cervantes).

 


William Shakespeare

(Stratford-upon-Avon, 1564 (batizado a 26 de abril) — Stratford-upon-Avon, 23 de abril de 1616)

Foi um poeta, dramaturgo e ator inglês, tido como o maior escritor do idioma inglês e o mais influente dramaturgo do mundo. É chamado frequentemente de poeta nacional da Inglaterra e de “Bardo do Avon” (ou simplesmente The Bard, “O Bardo”). Suas peças foram traduzidas para todas as principais línguas modernas e são mais encenadas que as de qualquer outro dramaturgo.
Entre suas obras-primas temos:  “Romeu e Julieta”,  “A Tragédia de Júlio César”, “Hamlet”, “Rei Lear” e “Macbeth”.

Muitos de seus textos e temas permanecem vivos até os nossos dias, sendo revisitados com frequência, especialmente no teatro, na televisão, no cinema e na literatura.

 

Garcilaso de la Vega
(Toledo, c. 1503 – Nice, 14 de outubro de 1536)

Foi um poeta espanhol, considerado o mais insigne, o príncipe dos poetas castelhanos. O tema central de seu lirismo é o amor, que ele exprime sob uma forma dolorida e dentro da mais aguda solidão, sendo muitos dos seus sonetos endereçados à “Elisa”, cuja identidade seria D. Isabel Freyre, dama de companhia da rainha e imperatriz-consorte Isabel de Portugal.
Autor de uma curta produção de versos que ele não publicou na vida. Após sua morte, a viúva de seu amigo Juan Boscán recolheu os manuscritos, revisou-os e publicou-os em Barcelona sob o título de As Obras de Boscán e alguns de Garcilaso de la Vega (1543).

Seu trabalho completo consiste em pouco mais de 4.000 versos que formam três églogas, 38 sonetos, duas elegias, cinco canções e uma epístola.

 


Maurice Druon
(Paris, 23 de abril de 1918 — Paris, 14 de abril de 2009)

Foi um escritor francês e decano da Academia Francesa de Letras, tinha entre seus antepassados um bisavô brasileiro, o escritor, jornalista e político maranhense Odorico Mendes (1799-1864), que se notabilizou como tradutor de Homero e Virgilio.

Maurice Druon escreveu dúzias de livros entre 1942 e 2007, inclusive:

Série Os Reis Malditos: retrata os reis franceses do séculos XIV, tratando, pois, da dinastia capetiana. Parte da trama envolve também os Plantagenetas da Inglaterra, na época ligados à coroa e sucessão francesas por laços de sangue.

O Rei de Ferro: Primeiro livro da série, tem como personagem principal o Rei Filipe IV, o Belo e trata do período entre o fim do processo contra os Templários, retratando a aplicação da pena a Jacques de Molay até a morte de Filipe IV. Em francês, recebeu o título Le Roi de Fer.

A Rainha Estrangulada: O rei morreu! Viva o rei! Neste segundo livro da série, Druon retrata a subida ao poder de Luís X e todas as estratégias usadas para que ele se case com uma nova esposa. Mostra também o “embate final” entre o Conde de Valois e Marigny.

São também integrantes da série “Os Reis Malditos” os livros Os Venenos da Coroa, A Lei dos Varões, A Loba de França, O Lis e o Leão e Um Rei Perde a França.

O Menino do Dedo Verde, livro infantil de 1957.

As Grandes Famílias, de 1948

 

Vladimir Vladimirovich Nabokov
(em russo: Влади́мир Влади́мирович Набо́ков, também conhecido pelo pseudônimo Vladimir Sirin; São Petersburgo, 22 de abril (V.E. 10 de abril) de 1899c — Montreux, Suíça, 2 de julho de 1977)

Foi um romancista, poeta, tradutor e entomologista russo-americano. Seus primeiros nove romances foram escritos em russo, mas ele conseguiu proeminência internacional após ele começar a escrever prosa em inglês.
Lolita, de Nabokov (1955) seu mais notado romance em inglês, foi classificado quarto na lista dos 100 melhores romances da Modern Library; Fogo Pálido (1962) foi classificado 53.º na mesma lista, e sua memória, Fala, Memória (1951), foi listado oitavo na lista do editor das maiores não-ficções do século XX.

Nabokov foi um lepidopterista especialista e compositor de problemas de xadrez.

 


Josep Pla i Casadevall

(8 de março de 1897, Palafrugell (España) – 23 de abril de 1981)

Foi um escritor e jornalista espanhol. As características mais importantes do estilo planiano são simplicidade, ironia e clareza. Extremamente modesto e sensível ao ridículo, ele odiava artifício e retórica vazia. Ao longo de sua vida literária, ele permaneceu fiel ao seu estilo: “a necessidade de uma escrita clara, precisa e sóbria”.
Sua obra literária original e extensa, que abrange seis décadas e mais de 30.000 páginas, foi essencial na modernização da língua catalã e na disseminação dos costumes e tradições locais. Seus artigos de opinião, crônicas jornalísticas e relatos sociais de muitos países também são um testemunho único da história do século XX. Tudo isso o consagrou por unanimidade como o prosist mais importante da literatura catalã contemporânea.

Pla é um dos mais proeminentes escritores de língua catalã do século XX. Seu trabalho oferece uma visão completa da sociedade de seu tempo. Ele escreveu a maior parte em catalão, uma língua na qual ele se sentia mais confortável, e apenas circunstancialmente o fez em espanhol (por razões de censura ou puramente comida),também brilhantemente, quase sempre em colaborações de imprensa, como as crônicas italianas, bác balcânicas e nórdicas dos vinte anos em El Sol. Durante os primeiros anos do regime de Franco, e por causa da limitação quase total para a edição catalã, publicou em espanhol as seguintes obras: Guia da Costa Brava (1941), As Cidades do Mar (1942), Viagem de Ônibus (1942) — considerada uma de suas grandes obras, e que prova seu brilhante domínio do espanhol — Rusiñol e seu tempo (1942), O Pintor Joaquín Mir (1944), Um Senhor de Barcelona (1945) e O Voo do Tempo (1945). Em 1946 ele reeditou com Destino (atualizando-os) seus dois primeiros trabalhos em catalão após a guerra civil(Cartes de lluny e Viatge a Catalunya).

 


Manuel Mejía Vallejo

(23 de abril de 1923 cidade de Jericó, departamento de Antioquia,Colômbia  – 23 de julho de 1998)

Foi um escritor e jornalista colombiano que ganhou o Prêmio Rómulo Gallegos e Nadal. Representa o lado andino da narrativa colombiana contemporânea.
Fez inúmeras contribuições para a cultura, sempre impulsionando novos talentos em qualquer área (e não apenas na literatura).

Uma das contribuições foi ter sido o primeiro a publicar “Los Nadaístas“, com o livro Nada bajo la cielo raso e HK-111 de Gonzalo Arango,em 1960; ação que valeria a pena confrontos com a Igreja.

 

Origem:
Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor
Wikipédia, a enciclopédia livre.